Fahrenheit 451: o ciclo vicioso do ocidente

Atualizado: 28 de dez. de 2021

Resenha por: Vittoria Horch


Publicado em 1953, no ápice da Guerra Fria, o livro Fahrenheit 451, escrito por Ray Bradbury, aborda um mundo distópico, onde bombeiros incendeiam livros em vez de apagar incêndios. Fahrenheit 451, título que aponta a temperatura necessária para queimar papel, se tornou um dos mais importantes da sua época, e também um dos mais censurados, visto que, embora se trate de uma história fictícia, notam-se sutis desdobramentos da nossa realidade para denunciar o poder autoritário e as tentativas de exterminar a leitura. Assim, o livro descreve um governo totalitário, onde tudo é controlado e as pessoas só têm o conhecimento permitido pelo Estado.

O clássico de ficção-científica conta a história de Guy Montag, um bombeiro que trabalhava queimando os livros da sua cidade. Guy faz parte de uma corporação de agentes do Estado que vigiam os cidadãos para destruir e queimar livros, pois eles eram vistos como nocivos para a população. Assim, como a sociedade era controlada, a única forma de entretenimento era por televisores enormes que exibiam programas fúteis com o intuito de emburrecer a população. A ação dos bombeiros não era questionada, já que não havia livros como referência do passado. Além disso, a pouca educação das pessoas, junto com uma grande alienação, fazia com que todos acreditassem neles e no Estado.

Levando isso em consideração, Bradbury dividiu o livro em três partes. A primeira parte conta como o protagonista percebeu o que estava acontecendo com a sociedade, após encontrar Clarisse, uma menina que reflete sobre o mundo a sua volta. Ele, então, começa a questionar o que poderia existir de tão importante dentro da leitura e assim começa a roubar alguns exemplares para ler.

Na segunda parte, Montag se torna amigo de um professor, o Sr. Faber, que lhe mostra o verdadeiro poder dos livros. E assim, juntos, pensam em meios para destruir o corpo de bombeiros. Logo depois, em um momento em casa, Guy lê um trecho de um livro para sua esposa e algumas amigas, por achar suas conversas superficiais, porém ela o denuncia e Montag será obrigado a incendiar a própria casa, o que ocorre na terceira e última parte.

Durante esse momento, Beatty, o chefe de Guy, descobre o contato dele com o Sr. Faber. O protagonista, tomado pela raiva, aponta um lança chamas na direção de seu chefe e o queima. Depois de todos esses acontecimentos, Montag foge em busca de um grupo de professores, que também era alvo de perseguição. O livro é concluído com Guy Montag e o grupo de professores concordando em ler muitos livros a fim de conseguirem armazenar uma grande quantidade de conhecimento, para que um dia possam reescrever as obras e espalhar esses pensamentos à população.

Fahrenheit 451 nos apresenta a violência e a alienação de sociedades autoritárias, traçando um paralelo com a censura que era instaurada por diversos regimes totalitários da época, ao mesmo tempo que cria uma ponte com acontecimentos atuais. Por exemplo, o autor escreveu no seu livro exatamente o que estava vivênciado em seu tempo pós-guerra, como a grande queima de livros na Alemanha nazista. Outro acontecimento que também se passou na época foi o macarthismo, corrente de pensamento anticomunista que provocou diversas violações de direitos constitucionais nos Estados Unidos devido a paranoia da Guerra Fria. No Brasil, apenas alguns anos depois, em 1964, tivemos a Ditadura Militar, que usou critérios políticos para censurar o jornalismo, a arte e a leitura.

A crítica de Bradbury pode ser apontada nos dias de hoje por inúmeros acontecimentos, como a fala do Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, sobre os livros didáticos no país. Em uma publicação do Ministério da Educação sobre o novo edital para livros escolares de 2019, foi suprimidos trechos importantes para a educação da população mais nova, como a agenda da não violência contra as mulheres. A censura de certos temas é algo comum no governo Bolsonaro, não muito diferente da censura de livros que Bradbury apresenta em seu livro. Além disso, as redes sociais, hoje em dia, são os principais meios de comunicação e de notícias da atualidade. Esse poder e alcance disponibilizado por elas acaba levando a divulgação de notícias falsas, as famosas Fake News, cuja propagação é mais um meio de alienar a população.

Por fim, as diversas crises que a civilização ocidental vivenciou e vivencia, com a nossa política, moral e ética, estão cada vez mais rápidas devido aos avanços tecnológicos e científicos. Esses ciclos parecem se renovar de tempos em tempos com os governos de cada época, a partir do autoritarismo, nazismo, stalinismo e macarthismo. Mas algo que Fahrenheit 451 aponta é que os livros desafiam a autoridade, exprimindo as diversas facetas e potenciais que o ser humano tem. Assim, algo é certo: Fahrenheit 451 pode ter sido um livro de ficção escrito em 1953, mas é impossível negar a ligação da história com o nosso passado e nosso presente.


Ficha Técnica:

  • Título Original: Fahrenheit 451

  • Autor: Ray Bradbury

  • País de Origem: Estados Unidos

  • Ano Original de Publicação: 1953

  • Número de Páginas: 215

  • Nome da Editora: Biblioteca Azul, 1° Edição, 2012

  • Gênero: Ficção Científica


Referências Bibliográficas:


LARA, Ricardo e SILVA, Mauri Antônio da. A ditadura civil-militar de 1964: os impactos de longa duração nos direitos trabalhistas e sociais no Brasil. Serviço Social & Sociedade [online]. 2015, v. 00, n. 122 , pp. 275-293. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/0101-6628.023> Acesso em: 5 de novembro de 2021.


SALDAÑA, Paulo. Gestão Bolsonaro muda edital de livros, abre margem para erros e retira violência contra a mulher. Folha de São Paulo, 2019. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/educacao/2019/01/gestao-bolsonaro-retira-violencia-contra-mulher-e-quilombo-de-edital-de-livros.shtml> Acesso em: 5 de novembro de 2021.


AIDAR, Laura. Fahrenheit 451. Cultura Genial, 2021. Disponível em: <https://www.culturagenial.com/fahrenheit-451/> Acesso em: 5 de novembro de 2021.


Resumo do livro Fahrenheit 451, do autor Ray Bradbury. Mural dos Livros, 2021. Disponível em: <https://muraldoslivros.com/resumo-do-livro-fahrenheit-451/> Acesso em: 5 de novembro de 2021.