• Maria Tereza

O mapa de sal e estrelas



“Se você não sabe a história de onde veio, as palavras de terceiros podem soterrar e afogar as suas” (página 158 do livro)


No livro “O Mapa de Sal e Estrelas”, do autor estadunidense de ascendência síria Zeyn Joukhadar, vamos conhecer duas personagens que viveram em linhas temporais diferentes, porém fizeram o mesmo percurso. Elas são: Nur (que vive nos tempos atuais durante a guerra na Síria) e Rawya (que vive a mais ou menos um milênio atrás).


Depois da morte do seu Baba, Nur e a família voltam para Homs na Síria, pois a mãe não estava conseguindo custear a vida em Nova Iorque, já que os seus mapas não vendiam mais como antes.


Rawya é a personagem da história preferida de Nur, e ambas percorrem a mesma jornada, porém por razões diferentes. Enquanto Rawya sai em uma expedição com Al-Idrisi - um famoso cartógrafo da época que realmente existiu - para aprimorar a arte da cartografia e poder ajudar a sua mãe financeiramente, Nur está fugindo da guerra na Síria e é do ponto de vista desta personagem que há sinestesia, que vamos acompanhando a sua jornada e a percepção de mundo com base nas cores.


A cartografia é algo extremamente presente durante toda a obra, pois é por meio dela que as personagens se orientam, e uma das frases mais recorrentes de Al-Idrisi disse que todo mapa era, na verdade, uma história.


A narrativa da obra é belíssima e, apesar do cenário na qual está inserida, a pureza da personagem deixa a narrativa mais leve, fazendo com que você se encante e chore um pouco com as personagens. No Brasil, foi feita uma edição especial deste obra pela Tag Livros.